BH

Destaques: Mustang Mach 1chega ao Brasil em série limitada e com preço de R$ 499 mil

Ford renasce no país, agora como importadora, e traz da matriz, nos Estados Unidos, o que de melhor e mais exclusivo produz na Terra do Tio Sam, como o Mustang Mach 1

Desde que anunciou ao mercado, em janeiro deste ano, que deixaria de produzir automóveis na América do Sul e como consequência fecharia suas plantas industriais, toda noticia que parte da americana Ford ganha mais relevo. A antes montadora, agora, importadora, está se reinventando e começa a dar os primeiros passos nesta nova fase. Depois de lançar a versão Black de sua picape Ranger, se prepara para comercializar no país, a partir de junho, uma série muito especial de sua “joia da coroa”, o Mustang, em uma versão ainda mais apimentada e conhecida como Mach 1. O esportivo é um verdadeiro sonho de consumo e objeto do desejo, até mesmo dos que não são tão aficionados por automóveis, afinal, estamos falando de um ícone, que atravessa gerações e ocupa sempre o imaginário de pessoas de todas as idades. Mas para falar de um verdadeiro mito é preciso começar do começo, a história tem início na década de 60, uma época em que nos Estados Unidos fazia sucesso os tradicionais carrões, caros e sem nada de esportividade.

Um pouco de história

A busca era por um modelo mais compacto, porém com motores potentes e um toque de esportividade.  E a Ford assistia da arquibancada o sucesso de suas concorrentes, sem poder participar da disputa por estes novos consumidores simplesmente porque não tinha em oferta nenhum modelo com essas características. Neste tempo o modelo mais esportivo da Ford era o Ford Thunderbard, lançado em 1954. Mas quem estava mesmo na “crista da onda”, como se falava naqueles tempos, era a arqui-rival Chevrolet, que comemorava o sucesso de seu Corvette, que se mantinha como o único carro esportivo norte-americano. A ideia de construir um esportivo com dimensões mais compactas foi do executivo Lee Iacoca, que teve aprovação de Henry Ford II (neto de Henry Ford, fundador da marca). Daí nasceu o Mustang, que recebeu este ano para homenagear um avião de caça da segunda guerra.

Mach 1

O ronco do motor V8 do Mustang ecoa no Brasil desde 2018, quando passou a ser oficialmente importado para nosso mercado. Uma curiosidade, mesmo não tendo a chancela da Ford como garantia, importadores independentes trouxeram para o Brasil, ao longo de anos, cerca de 50 mil unidades, tanta a adoração e o culto pelo esportivo. Voltando ao modelo até agora foram duas versões as comercializadas por aqui, a da época do lançamento, GT Premium e a Black Shadow, que será, a partir de agora, substituída pela exclusivíssima Mach 1. E porque de tanto barulho? Esta série especial teve sua estreia no de ano de 1969 e de tempos em tempos ganhava uma reedição. Mas, agora, bastante tempo se passou e o modelo “especial” não é produzido desde 2004, e, mesmo assim, quando surgiu naquela ocasião se manteve no mercado apenas por dois anos, sempre com algum traço característico que lembra o clássico do fim da década de 60.

Nostalgia

A proposta é justamente essa, se valer da nostalgia para uma releitura do passado e aguçar os admiradores do modelo a reviver uma época que ficou na história. Começando pelo grafismo e as listras no capô que lembram o modelo que deu origem a esta série, seguindo pelas entradas de ar redondas na grade. No modelo do passado ali ficavam embutidos faróis, mas desta vez, apesar de manter o formato, a Ford escolheu usar para a tomada de ar. Desta forma o esportivo não terá uma entrada de ar no capô como no modelo clássico. A própria Ford fez questão de lembrar que nem todas as versões do Mach 1 de 1969 tinham um capô com entrada de ar e que, no caso do modelo atual, o motor Coyote já recebe ar o suficiente.

Trem de força

Um destaque da serie Mach 1 é a diferenciação na potência do motor quando comparado ao modelo convencional, se é que podemos chamar algum Mustang de algo comum. Esta edição que virá para nosso mercado é exatamente como a comercializada nos Estados Unidos. O motor V8 de 5.0 litros ronca alto, são 483 cavalos e uma transmissão automática de 10 marchas. Na América do Norte é oferecida a versão com câmbio manual de dez velocidades. Para a Ford o Mach 1 seria uma ponte que liga a versão de entrada, a GT, ao modelo Shelby, GT 350 e GT 500, mas como personalidade própria, como uma nova dianteira, destacada pelo para-choque e grade frontal. As rodas Mach 1 Magnum 500 são de cinco raios, desenho clássico do modelo, e mesmo com tão completo, ainda oferece opcionais como a asa GT500 com flaps Gurney e freios Brembo com pinças laranjas ou emblemas e faixas em outras cores.

Interior

Tudo foi pensado na série Mach 1 para manter a exclusividade da proposta, como uma nova tela para o painel de instrumentos de 12 polegadas, uma alavanca de câmbio específica para o modelo, novas placas nas soleiras e uma placa de identificação com o número de chassi. Tanta esportividade e desempenho precisam estar aliados à conectividade, para isso o Mach 1 oferece o FORDPASS, que permite, remotamente, travamento e destravamento das portas, partida do motor com climatização, planejamento de reabastecimento com base na autonomia, verificação da calibragem dos pneus, chegando a pressão, entre outros. São 8 airbags, controle eletrônico de estabilidade e tração, sensores de chuva e ponto cego, assistente de partida em rampa. São sete os modos de condução e o controle de ruído no escapamento. A pré-venda do modelo começa nesta sexta-feira, dia 16 e as primeiras unidades serão entregues em junho.

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.

Fonte: Jornal Super / O tempo

Redação

O portal noticiasbh utiliza algoritmos com inteligencia artificial para proporcionar a você a seleção das principais notícias da cidade de Belo Horizonte, destaques do Brasil e no Mundo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *